San Gimignano: a Manhattan Medieval

Em uma colina da Toscana está a Manhattan Medieval, a cidade das torres, dos muros, do vinho branco e do melhor sorvete do mundo. Neste post conto como foi passear pelas ruas desta pequena, mas muito charmosa, cidade de San Gimignano.

San Gimignano - chegada
Portão de acesso

San Gimignano

Com pouco mais de sete mil habitantes, esta comuna italiana desenvolvida desde o século 10 faz parte da Província de Siena. A parte guardada pelas muralhas já foi um importante ponto de peregrinação religiosa até Roma. O que estimulou por parte das famílias que controlavam a cidade a construção de 72 torres-casas como demonstração de poder e riqueza.

Portão de San Giovanni
Portão de acesso para o Centro Histórico de San Gimignano

A época de ouro foi encerrada pela Peste Negra em 1348, que não só empobreceu a cidade como muitas vidas foram perdidas. O fim da peste não representou o retorno dos peregrinos, deixando a cidade impossibilitada de se modernizar. O que fez com que muitas das torres fossem cortadas em disputas familiares ou simplesmente desabassem por falta de recursos para manutenção.

Hoje apenas 14 destas torres ainda estão de pé, mas a cidade como um todo é muito bem conservada, sendo muito semelhante há como era a 700 anos atrás, motivo pelo qual ela foi eleita em 1990 Patrimônio Mundial da Unesco e atrai turistas de todo o mundo.

Como ir?

San Gimignano fica a 286km de Roma, 58km de Florença e 39km de Siena. Podendo ser uma base para quem vai percorrer a Toscana, ou um bate-volta para quem está próximo.

No nosso caso, nós saímos de Siena, onde fizemos base para percorrer a Toscana de carro. Levamos em torno de uma hora percorrendo o caminho que separa as duas cidades. Há estacionamentos gratuitos, que ficam longe do centro histórico, e as opções pagas, que ficam bem mais próximos as muralhas.

Piazza del Duomo
Praça do Duomo de San Gimignano

Entre os pagos há o P1, P2, P3 e P4. Como chegamos cedo, conseguimos estacionar no P2, que fica literalmente ao lado da muralha. Pegamos um bilhete em uma máquina na entrada, e na saída colocamos na máquina de pagamento, que calculou o nosso tempo e cobrou o valor. O custo da hora é de 2 euros, e permitia pagamento em dinheiro e cartão de crédito.

Mas também é possível ir de ônibus, já que a cidade possui ligação rodoviária com as cidades de Florença e Siena, e o tempo de viagem é de cerca de uma hora e meia e deixa o visitante no portão de acesso da cidade histórica.

O que fazer?

A caminhada por San Gimignano começa pelo Portão de San Giovanni, que é a porta de entrada da cidade. Seguindo em frente, várias lojinhas que vão de cosméticos, vinhos a lembrancinhas. Nós deixamos para observar mais atentamente na saída, para não ficar carregando peso, e compramos o vinho branco Vernaccia de San Gimignano e um chianti por ótimos preços.

Chiesa di San Francesco

Um dos lugares que nos chamou a atenção foi a Chiesa di San Francesco, onde a fachada em estilo romântico está preservada. Internamente uma loja de produtos locais ocupa o espaço.

Em poucos minutos chegamos a Piazza della Cisterna, em seu centro um poço com moedas e notas de diferentes países, incluindo o nosso real. E nos prédios a sua volta comércio, incluindo a famosa Gelateria Dondoli, que venceu o concurso de melhor sorvete do mundo nos anos de 2006/2007/2008/2009.

San Gimignano - sorvete
Uma armadura seria uma boa opção para encarar a multidão

Pela manhã observamos que quase não havia movimento, acabamos indo após o almoço e já pegamos uma fila razoável, o atendimento é meio caótico, pois as pessoas se amontoam como se estivessem em um ônibus na hora de pico. Achamos o sorvete bem gostoso, dentro do padrão italiano, mas como experimentamos 10 anos depois do último título, isso pode ter motivado as demais.

Piazza della Cisterna - Multi
E na praça tinha um poço, e não faltou representante do Real

Na praça também é possível ver as Torres dei Becci e dei Cugnanesi, a Torre del Diavolo – que teria ficado mais alta sozinha durante uma viagem do proprietário, que atribuiu o fato ao Diabo – e as casas mais importantes da cidade: Palazzo Razzi, Palazzo Tortoli e Casa Silvestrini.

Piazza della Cisterna
A praça possui um formato triângular

A Torre Grossa e Torre Salvucci Maggiore

Construídas entre os séculos XI e XIX, entre as 14 tores que resistiram ao tempo há duas que podem ser visitadas: a Torre Grossa e a Torre Salvucci Maggiore.

Torre Salvucci Maggiore
Torre Salvucci Maggiore

Localizadas na Piazza del Duomo, fomos até o Musei Civici que fica no Palazzo Comunale, e compramos o ingresso que dava direito a visitar alguns lugares da cidade – incluindo a Torre Grossa -, com exceção do Duomo de San Gimignano. Pagamos 9 euros pelo ingresso, Alice foi isenta.

Subindo a Torre Grossa

A vovó Zu optou em não subir a torre, e desta vez levamos a Alice junto. O início da subida é tranquilo, com degraus de tamanho médio, até entrar em uma estrutura de ferro que te leva até o alto. A parte que exige mais cuidado é justamente a final, onde ela é vertical.

Vista Torre Grossa

A subida vale muito a pena, pois a vista que se tem de San Gimignano é belíssima. Onde você vê as torres, as casas, os campos, o campinho de futebol, os telhados, as praças e o horizonte.

Torre Grossa

Na subida pela escada metálica passa um vídeo bem legal sobre as torres e a cidade, é a propaganda do Medieval Vertigo, um espetáculo promovido pelo município, que traz um panorama em 3D.

Torre Grossa - Escada

Palazzo Comunale

Também conhecido pelos nomes de Palazzo del Popolo e Palazzo Nuevo del Podestá, tem um conjunto de salas que são ao mesmo tempo de rápida visitação e interessantes.

Sala del Consiglio

No primeiro andar fica a Sala del Consiglio, também conhecida como Sala Dante devido a uma visita do poeta florentino em 1299. Ela possui um afresco do final do século XIII representando torneios de cavalheiros e cenas de caça.

Pinacoteca

No segundo piso do Palazzo Comunale está a Pinacoteca, com acesso incluído no bilhete que compramos. Aqui há obras de pintores de Siena e Florença entre os séculos XIII e XV, como Filippino Lippi e Benedetto da Maiano.

Pinacoteca

Camera del Podestá

Do lado contrário a Pinacoteca está a Camera del Podestá, uma importante pintura do século XIV. Trata-se de um conjunto de afrescos profanos e moralizantes sobre o amor, tendo sido criado entre os anos de 1305 e 1311 por Memmo di Filippucio.

Camera del Podestá

Museu San Gimignano 1300

Alice amou este lugar. O pequeno museu reconstruiu em uma maquete extremamente detalhista de como São San Gimignano era no período de 1300, no auge das peregrinações. Este bonito trabalho foi feito por Michelangelo e Raffaello Rubino (será que eles viraram artistas por influência dos pais ou dos nomes?!), que doaram para a cidade.

Museu San Gimignano 1300

O museu fica na Via Costarell e a visitação é gratuita.

San Gimignano - multi

Complexo Museu de Santa Chiara

Entramos no museu pela entrada estar incluída no ingresso de subida da Torre, e achamos o local uma graça. O prédio possui dois andares e um jardim muito bonitinho, com árvores, mudas e plantas. No primeiro andar está o Museu de Arqueologia e da Spezieria dello Spedali di Santa Fina.

Complexo Museu de Santa Chiara - Frente
O complexo fica em uma rua bem tranquila

No Museu de Arqueologia encontramos peças que representam os costumes e técnicas durante três períodos da cidade de San Gimignano: o etrusco, o romano e o medieval. Os vasos de cerâmica são lindos, mas não deixe eles centralizarem a sua visão e olhe para o teto também.

Complexo Museu de Santa Chiara
Observe o teto, as peças e o jardim

Já a Spezieria dello Spedali di Santa Fina é muito interessante pela quantidade de plantas, a antiga Farmácia de Santa Fina exibe os recipientes originais da Farmácia do Hospital de Santa Fina, que foi fundado em 1253. No espaço há tanto a loja quanto a cozinha, onde eram preparados os medicamentos.

Galeria de Arte Moderna e Contemporânea

No andar superior está a Galeria de Arte Moderna e Contemporânea, onde é possível conhecer um pouco das obras artísticas de San Gimignano, lá vimos quadros muito interessantes de artistas como Raffaele De Grada, Niccolo Cannici, Carmelo Zotti entre outros. Há também banheiros para quem precisar.

Porta delle Fonti

Porta delle Fonti

Descendo uma encosta nos deparamos com uma construção de arcos onde se encontram as fontes públicas medievais. No local é possível ver a água e os peixes que nela moram, mostrando que a fonte permanece mais viva que nunca.

Porta delle Fonti - vista

Além de ver o local de abastecimento da cidade, se tem uma vista muito bonita da Toscana, possibilitando bonitas fotos. Lembrando que descer é fácil, o exercício complica na subida.

Porta delle Fonti - Multi

San Lorenzo in Ponte

A pequena igreja fica no final da Via del Castello e a sua visita estava incluída no nosso ingresso. Construída no século XIII em estilo romântico, ela possui um teto de madeira.

San Lorenzo in Ponte

Tanto a igreja quanto o seu pórtico construído no início do século XV possuem uma extensa decoração de afrescos. Criados pelo pintor florentino Cenni di Francesco no século XV, ele retrata o ciclo da vida após a morte, tendo São Lorenzo como um possível salvador das almas que estão no Purgatório.

San Lorenzo in Ponte - Multi

Na extensão há também um afresco que retrata a Madonna e o Menino, a obra ,cuja a autoria talvez seja de Simone Martini, teve como sobrevivente aos anos apenas o rosto de Maria.

Caminhar sem rumo

Entrar nas ruas, seguir corredores que te levam a novas vistas da cidade. Se você quiser apenas caminhar por San Gimignano já terá ganho o seu dia. A cidade nos fez retornar no tempo, tornando muito prazeroso andar sem rumo e muitas vezes sem nenhum carro circulando.

San Gimignano - Nós
Então você entra em uma espécie de túnel e encontra esta vista

Não visitamos por só descobrir depois:
Museu Torre e Casa Campatelli: primeira e única casa-torre aberta para visitação do público.
Rocca di Montestaffoli: sede do Bispo de Volterra durante a idade média e sede do mercado durante o século XX.
Museu do Vinho Vernaccia di San Gimignano: explica com fotos e espaço interativo como é produzido o vinho Vernaccia.

Não visitamos por que não tivemos interesse:
Duomo de San Gimignano: pedido da Alice para dar um tempo nas igrejas.
Museu Ornitologico: suas peças dão uma visão das aves italianas e europeias.
Museu da Tortura: cópias de artefatos de tortura em todo mundo.

Onde comer?

Existem várias opções de restaurantes na cidade, nós fomos na Antica Macelleria Trattoria e adoramos. Pedimos de entrada melão com presunto parma, duas lasanhas e dois raviólis. Tudo muito bom.

Antica Macelleria Trattoria
Selo bons de garfo de qualidade

De bebidas água, refrigerante para o motorista e vinho branco da casa para mim e para a mãe. Com a taxa de coperto (2 euros por pessoa), a conta deu um total de 66,50 euros. Um preço bem bom para quatro pessoas.

Quando ir?

Dizem que as melhores épocas para visitar é primavera (março a junho) e outono (setembro a dezembro), quando as temperaturas são agradáveis.

San Gimignano - ruas

Nós fomos em setembro, no final do verão, e gostamos bastante. Pegamos um dia de sol que permitiu percorrer as ruas da cidade tranquilamente. Optamos por roupas e sapatos confortáveis, para nos movimentar com mais tranquilidade, já que o local fica em uma colina e tem algumas subidas e descidas.

Como incluir San Gimignano no seu roteiro

San Gimignano pode ser sua base se você se hospedar lá, também pode ser um bate-volta para quem está em cidades próximas como Florença e Siena.

Para quem vai de carro, o bate-volta a San Gimignano pode ser combinado com Volterra, Colle di Val d’Elsa e Monteriggioni.

Nós combinamos com a cidade de Volterra, mas por termos um estilo mais devagar de viagem, acabamos aproveitando San Gimignano e subaproveitando a segunda. Para quem gosta de ver tudo com calma, deixo a sugestão de fazer um dia inteiro em San Gimignano.

* Viagem realizada em Setembro/2019
* Alice estava com 6 anos e 4 meses
* Todos os custos foram pagos por nós

Este post faz parte de uma blogagem coletiva onde outros viajantes também compartilham as suas dicas de lugares para visitar na Europa. Aproveite para descobrir outros #destinosnaeuropa clicando nos links abaixo:

Vamos Por Aí – Descubra os pontos turísticos de Paris e os melhores passeios 
Viajante Comum – Andaluzia, Sul da Espanha: Cidades lindas para incluir no seu roteiro!
Destinos por onde andei… – Castelo de Guimarães em Portugal, vamos conhecer? 
Experiência Barbara – Roteiro pela linda Cesky Krumlov – República Checa 
Mulher Casada Viaja – O que fazer em Sorrento, base para a Costa Amalfitana
Vamos viajar pra onde agora – Explorando Braga em Portugal 
Dani Turismo – O que fazer na Europa? 
Across The Universe – Viagem para Itália: sugestão de roteiro de 8 a 15 dias 
Uma Viagem Diferente – Cidades para conhecer na Itália
6 Viajantes – Provence: como visitar os campos de lavanda com as crianças 
Viajante Móvel – Destinos quentes da Europa no inverno – férias fim de ano
Viajante EconômicaComo visitar as estações de esqui de Andorra

Planeje sua viagem em parceria com o blog clicando nos links em azul, você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a melhorá-lo cada vez mais:

  • Reserve seu hotel através da Booking.com, são milhares de opções no mundo todo com garantia dos melhores preços. Cancelamento gratuito, pagamento antecipado e confiança de uma empresa com mais de 20 anos atuando com reservas de hotéis.
  • Seguro Viagem com a Seguros Promo. As melhores empresas do mercado, cobertura em todos os continentes, para todas as idades e com os melhores preços. Digite o cupom 3GERACOESE1MALA5 ao realizar sua compra através dos links aqui do blog e ganhe 5% de desconto.
  • Alugue o seu carro com a Rentcars e parcele em reais sem pagar IOF.
  • Problemas com o seu voo ou bagagens? Entre em contato com o pessoal da Resolvvi e veja se pode ser indenizado.
  • Não quer ficar desconectado? Conheça o chip da Viaje Conectado e já inicie o seu roteiro com ele.

8 comentários em “San Gimignano: a Manhattan Medieval

  1. Quero muito conhecer a Toscana e gostei muito de ver as opções de San Gimignano que vc postou aqui. Também viajo com calma e amo fazer bate-volta. Obrigada por compartilhar sua experiência. Beijos

    Curtir

  2. San Gimignano foi a última cidade que visitei na Toscana. Perambulei pelas ruas sem roteiro definido e acabei não visitando museus ou subindo em torres. Se um dia eu voltar, vou aproveitar estas dicas, obrigada!

    Curtir

  3. Fiquei encantada com essa cidade medieval. O roteiro para San Gimignano está tentador. Fiquei com muita vontade de conhecer com meus filhos. Pois, adorei ver a sua princesa no passeio.

    Curtir

  4. Quando estivemos na Toscana fizemos um roteiro bem parecido com o seu. Adorei conhecer San Gimignano, acho que vale a pena mesmo incluir a cidade em uma visita a Toscana

    Curtir

  5. Como amo esse lugar! Eu fiz exatamente como você indicou: caminhar sem rumo! Confesso que não entrei em museus, pois a minha fascinação era desbravar as estreitas ruas e sabores dos sorvetes, que já me deixaram eufótica! Amo cidades medievais, Vai entender?.. kkk
    Eu fiz um bate e volta de Florença, mas indico muito dormir em San Gimignano. Sonho em voltar em breve!

    Curtir

  6. Fiquei encantada por essa cidade de San Gimignano. É realmente muito charmosinha e com certeza vou querer explorar essa cidade medieval. Achei uma ótima sugestão de colocá-la no roteiro como base para minha viagem pela Toscana.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s