Roteiro 14 pela Itália: Roma, Veneza, Padova e Toscana

Itália é a terra das vozes altas, da boa gastronomia, dos vinhos maravilhosos, das lojas estilosas, e dos avós do Marco. E neste post divido com vocês de forma objetiva as cidades que passamos, os lugares que conhecemos e os restaurantes que fomos, conjunto que fez a Alice se apaixonar e querer voltar.

Nosso Planejamento

Comecei a planejar este roteiro com dez meses de antecedência, vendo o tempo que poderíamos ficar, quantas cidades conseguiríamos visitar sem ser algo muito corrido, além é claro de muita pesquisa de valor, pois não podemos esquecer do valor do euro.

Voo

Na época consegui uma promoção muito boa pela TAP para ida e volta por Roma, embora não fosse o ideal, a diferença de preço compensava retornar de carro da Toscana para Roma. Minha ideia inicial era começar em Veneza e finalizar em Roma, mas mesmo iniciando em Roma e finalizando em Florença havia uma diferença considerável na época, que era superior a uma passagem de ida e volta para um adulto.

Hotéis

Buscamos hotéis que preferencialmente tivessem quartos conjugados e obrigatoriamente com café da manhã, pois queríamos sair prontos para os lugares programados. Apenas o de Siena ganhou o item de adicional de ter garagem. Como tem acontecido em todas as nossas viagens internacionais, optamos pela plataforma do Hoteis.com, não, não temos parceria, cito por realmente usar e gostar.

Deslocamento

A maior parte seria realizada de trem, mas para o interior da Toscana não havia outra solução, era hora de perder o medo e dirigir pela primeira vez na Europa, neste caso, pela Itália.

Com isso comprei com antecedência as passagens de trem para os lugares que já tínhamos estadia confirmada e fiz a locação do veículo, assim como os ingressos dos lugares mais populares. Assim, quando chegamos na Itália, tínhamos tudo comprado e organizado.

Com isso também consegui diluir os gastos, não tornando os valores tão pesados assim.

Seguro Viagem

Eu, o Marco e a Alice usamos o seguro do cartão utilizado para compra das passagens aéreas, para a mãe eu contratei um ainda no Brasil. Não precisamos acionar nenhum dos dois durante a viagem. Como a nossa viagem foi realizada antes da pandemia, não sei dizer como está a questão do seguro dos cartões em relação a cobertura da Covid-19, então vale se informar caso esta seja a sua opção.

Com isso em mente montei o nosso roteiro, e abaixo segue de forma resumida e objetiva o que efetivamente fizemos dia-a-dia, para mais detalhes clique nos links, pois eu escrevi vários posts detalhando por cidade e por ponto turístico. Excluindo os dias de chegada e saída, temos 14 integrais de atividades e deslocamentos por dentro da Itália. Mas abaixo relato também o tempo gasto com chegada e partida para você não esquecer de contabiliza-los na hora de programar a sua viagem.

Roteiro de Viagem Dia-a-Dia

Dia 0 – Saída

Com atraso na saída do voo, saímos a noite em um voo direto de Porto Alegre para Lisboa.

Dia 1 – Conexão em Lisboa e Chegada em Roma

Chegamos de manhã no aeroporto de Lisboa, que estava uma verdadeira confusão com vários voos da TAP atrasados. Quem tinha conexão curta foi passado na frente, como não era o nosso caso, encaramos uma longa fila na imigração, quando chegamos no guichê foi tudo super rápido, só precisamos apresentar os passaportes e dizer de onde estávamos vindo e para onde iriamos.

Após um lanche no aeroporto aguardamos o nosso voo para Roma, que também atrasou, chegando à noite na cidade ao qual ficaríamos três dias. Com isso optamos em pegar um táxi para chegar no hotel.

Nós optamos pelo hotel Gea di Vulcano, que ficava relativamente próximo à Estação Termini, e onde iriamos pegar o trem para Veneza. Além de fazer o check-in, só tivemos tempo de sair e jantar uma pizza depois de um dia bem cansativo de viagem.

Se você chegou aqui com o foco somente em Roma, sugiro a leitura do post Roteiro de 3 dias em Roma, onde detalhamos mais o roteiro e incluo o que eu mudaria e lugares pelos quais passamos, mas não entramos.

Dia 2 – Roma

Dia de se acostumar com o fuso e conhecer os pontos turísticos que não exigiam ingresso antecipado. Com isso fizemos o seguinte itinerário:

1) Basílica Santa Maria degli Angeli e dei Martiri
2) Basílica de Santa Maria Maggiore
3) Pantheon
4) Almoço no Pantharei (recomendamos)
5) Piazza Navona
6) Templo de Adriano
7) Fontana di Trevi
8) Piazza di Spagna
9) Villa Borghese
10) Jantar Terminal Termini (recomendamos para quem procura algo rápido)

Dia 3 – Roma

Aqui tínhamos ingresso comprado para o Coliseu, optamos em ir de metrô até o local e retornamos a pé até o nosso hotel, o que nos permitiu passar por outros pontos turísticos.

1) Visita Completa ao Coliseu – ingresso com hora marcada comprado antecipadamente
2) Almoço Osteria Angelino (recomendamos)
3) Fórum Romano e Palatino – visita inclusa no ingresso da visita ao Coliseu
4) Bocca della Veritá
6) Teatro di Marcello
6) Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II
7) Coluna de Trajano
8) Jantar

Dia 4 – Roma

Outro dia com horário marcado, mas em um ponto mais distante do hotel.

1) Museus do Vaticano – Ingresso comprado com hora marcada antecipadamente
2) Almoço dentro da praça dos museus do Vaticano para seguir depois com a visita
3) Basílica de São Pedro
4) Jantar no Pub e Restaurante The Flann O’Brien (recomendamos)
5) Arrumar as malas para a próxima cidade

Dia 5 – de Roma para Veneza

Caminhada até a Estação Termini para o nosso primeiro deslocamento de trem, ao qual passamos a manhã nos deslocando até a cidade de Veneza, onde ficamos mais três dias.

Se o seu objetivo é apenas a cidade de Veneza, recomendo a leitura do post Roteiro de 3 dias em Veneza, onde dou bem mais detalhes dos nossos passeios.

Descemos na Estação Santa Lucia, atravessamos uma ponte e fizemos o nosso check-in no Hotel Antiche Figure, que nos permitiu já levar as malas para o quarto.

1) Almoço no Ristorante Pizzeria Mira Bar (recomendamos)
2) Basílica de Santa Maria della Salute
3) Palazzo Franchetti
4) Campo Santo Stefano
5) Praça de São Marcos
6) Livraria Acqua Alta
7) Jantar no Ristorante Pizzeria Roma (preço salgadinho, mas recomendamos)

Dia 6 – Veneza

Porque Veneza é uma cidade para conjugar o verbo flanar.

1) Ponte di Rialto e o Grande Canal
2) Basílica de São Marcos
3) Almoço
4) Palazzo Ducale – sua chance de passar por dentro da ponte dos suspiros
5) Campanile de San Marco
6) Jantar no Restaurante Pedrochi (recomendamos)

Dia 7 – Murano, Burano, Torcello

Dia de fazer bate-volta de Vaporetto.

1) Murano
2) Burano
3) Almoço Ristorante Riva Rosa em Burano (caro, mas recomendamos)
4) Torcello
5) Jantar

Dia 8 – Veneza, Padova, Florença

Por motivos pessoais, optamos em parar em Padova invés de ir diretamente para Veneza, deixando as malas na estação de trem da cidade.

Para isso saímos cedo para aproveitar bem o dia. Para saber mais detalhes recomendamos o post com o Roteiro de 1 dia em Pádua e de lambuja descobrir o motivo deste pit-stop.

1) Musei Civici degli Eremitani – compramos ingressos antecipados
2) Almoço Pago Pago Trattoria Pizzeria (recomendamos)
3) Basílica de Santo Antônio
4) Prato della Valle
5) Piazza dei Signori

No final da tarde fomos para Florença, onde desembarcamos na estação S.M. Novella e fomos direto para o Hotel Collodi onde largamos as malas e depois saímos para jantar.

Caso você tenha um interesse especial por Florença, recomendo a leitura do post Roteiro de 3 dias em Florença. Agora se o seu foco for a Toscana dê uma espiadinha no post Roteiro de 7 dias pela Toscana.

Dia 9 – Florença

Aqui era um dia com dois lugares previamente agendados devido à grande procura dos turistas.

1) Complexo Duomo – ingresso antecipado para acessar os 6 monumentos.
2) Almoço Ristorante la Grotta Guelfa (recomendamos)
3) Piazza della Signoria
4) Galleria degli Uffizi – ingresso antecipado para garantir a visita
5) Fontana del Porcellino do Mercado Novo
6) Piazza della Republica
7) Jantar na Trattoria San Lorenzo (recomendamos)

Dia 10 – Florença

Dia de começar cedo, pois tínhamos ingresso para conhecer uma das estátuas mais famosas do mundo.

1) Galleria della Accademia – ingresso antecipado, escolhemos os primeiros horários para circular com calma e funcionou
2) Almoço Mercado Central de Florença (você tem que ir)
3) Palazzo Vecchio
4) Museo Galileo – com criança é obrigatório
5) Pôr-do-sol na Piazzale Michelangelo
6) Jantar Bar Ristorante Pizzeria “Ginori” (para quem gosta de calzone gigante)

Dia 11 – Pisa e Lucca

Sim, ainda havia lugares para conhecer em Florença. Mas por causa do filme dos Detetives do Prédio Azul precisávamos fazer um dos bate-volta e o outro entrou pela curiosidade. Para quem quiser mais detalhes, fiz um post específico chamado bate-volta Pisa e Lucca.

1) Pisa – Piazza dei Miracoli ou Piazza Del Duomo
2) Lucca
3) Almoço em Lucca no restaurante San Colombano (recomendamos)
4) Jantar no mercado público de Florença pois vale o repeteco

Dia 12 – Florença, Chianti, Siena

Na estação Santa Maria Novella fomos até o balcão da locadora pegar o nosso carro. Por não ter o modelo escolhido inicialmente, acabamos indo diretamente a Siena deixar as malas no hotel, para depois ir visitar uma das cidades programadas no roteiro.

1) Check-in no Hotel Athena em Siena
2) Almoço no Nuvolari Bar em Castellina in Chianti (recomendamos)
3) Greve in Chianti
4) Jantar na Piazza del Campo em Siena

Dia 13 – Bate-volta San Gimignano e Volterra

Dia de passear pelas cidades medievais, motivo pelo qual havíamos alugado o carro. Mas acabamos ficando muito mais em San Gimignano.

1) San Gimignano – Torre Grossa, Palazzo Comunale, Pinacoteca, Camera del Podestá, Museu San Gimignano 1300, Complexo Museu de Santa Chiara, Porta delle Fonti, San Lorenzo in Ponte, melhor sorvete do mundo
2) Almoço no Antica Macelleria Trattoria em San Gimignano (recomendamos)
3) Volterra – Porta Etrusca, Piazza dei Priori, Palazzo Pretorie, Palazzo dei Priori, Anfiteatro Romano
4) Retorno e jantar em Siena

Dia 14 – Bate-Volta Montalcino e Pienza

Aqui foi o dia que o motorista da rodada mais sofreu, mas não fiquem triste por ele, pois se levou um exemplar para casa (e hoje ele se arrepende de ter limitado a um).

1) Montalcino – Visita a fortaleza para degustar famoso Brunello
2) Pienza – almoço lanche e caminhada por esta cidade pequena e muito linda.
3) Retorno e jantar em Siena

Dia 15 – Siena – Roma

Nosso último dia na cidade que mal visitamos, assim deixamos as malas e o carro no hotel e passamos o dia nela. Se quiser maiores detalhes, leia o post Roteiro de um dia em Siena.

1) Catedral de Santa Maria Assunta
2) Libreria Piccolomini
3) Museu dell’Opera
4) Panorama dal Facciatone
5) Almoço no Archivio del gusto (recomendamos)
6) Cripta
7) Battistero di San Giovanni
8) Complexo Museale Santa Maria Della Scala
9) Piazza del Campo
10) Saída para Roma
11) Entrega do Carro e Jantar no aeroporto de Roma

Dia 16 – Roma, Lisboa, Porto Alegre

Chegamos no final da noite no aeroporto de Roma para entregar o carro, e como o check-in para o voo deveria começar às 04hs da manhã, tivemos a ideia maluca de passar no aeroporto. Quando chegamos lá, metade do voo havia tido a mesma ideia e estavam todos amontoados nas cadeiras próximas ao balcão, que se encontrava vazio.

Então a minha opinião pessoal: é o tipo de economia que não vale a pena. É melhor pegar um hotel próximo ao aeroporto e dormir três horas com conforto.

No nosso retorno a Lisboa o aeroporto estava normalizado, tivemos um pequeno atraso no voo de volta do Brasil, mas há noite estávamos em Porto Alegre.

Nossa opinião…

Viajar para a Itália vale muito a pena, Alice voltou encantada e já pensamos em um retorno para conhecer outras cidades que ficaram de fora. A vontade era poder passar meio ano percorrendo o país, mas como ainda não ganhamos na mega sena, fica nas descobertas conta-gotas.

A dobradinha trem + carro funcionou super bem, e acredito que dirigir pelas estradas italianas será bem mais fácil na próxima vez, pois ainda nos falta conhecer várias cidades e eu não realizei o desejo de ir para a região de Arezzo, local citado no maravilhoso filme Sob o Sol da Toscana – se ainda não viu, veja para se inspirar.

Todos os hotéis nos atenderam, alguns superando as expectativas, então sempre vale colocar na ponta do lápis e da pesquisa o que não pode faltar na hospedagem, isso tem nos ajudado muito.

Dúvidas, sugestões, impressões? Deixe nos comentários. Vamos ter um grande prazer em ler.

  • Viagem realizada em setembro/2019
  • Alice estava com 6 anos e 4 meses
  • Todos os custos foram pagos por nós

Planeje sua viagem em parceria com o blog clicando nos links em azul, você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a melhorá-lo cada vez mais:

  • Seguro Viagem com a Seguros Promo. As melhores empresas do mercado, cobertura em todos os continentes, para todas as idades e com os melhores preços. Digite o cupom 3GERACOESE1MALA5 ao realizar sua compra através dos links aqui do blog e ganhe 5% de desconto.
  • Alugue o seu carro com a Rentcars e parcele em reais sem pagar IOF.
  • Problemas com o seu voo ou bagagens? Entre em contato com o pessoal da Resolvvi e veja se pode ser indenizado.
  • Não quer ficar desconectado? Conheça o chip da Viaje Conectado e já inicie o seu roteiro com ele.

Roteiro 7 dias pela Toscana

Rodar pelas estradas da Região da Toscana na Itália é se sentir dentro de um cenário de filme, suas cidades e paisagens são simplesmente deslumbrantes, tornando a viagem inesquecível e a hora de ir embora deixa aquele gostinho de quero mais.

Continuar lendo “Roteiro 7 dias pela Toscana”

Deslocamento de Trem pela Itália

Para a maior parte dos nossos deslocamentos pela Itália, optamos pelo uso do trem, que é um meio rápido e bastante fácil. No total passamos por seis estações, e utilizamos trens tanto da Italo quanto da Trenitalia. Continuar lendo “Deslocamento de Trem pela Itália”

Planejamento: Como alugar um carro

Neste post conto para vocês como foi o nosso processo de locação para utilizar um carro na Europa.

Quando começo a construir os nossos roteiros, uma das coisas que sempre busco é a forma de transporte. Até hoje os trens haviam suprido as nossas necessidades, mas chega uma hora que você irá precisar de um carro. Continuar lendo “Planejamento: Como alugar um carro”

Planejamento: Como Solicitar a PID

A Permissão Internacional para Dirigir, mais conhecida pela sua sigla PID, é um dos documentos necessários para quem quer dirigir no exterior.

Quando resolvemos alugar um carro na Europa, este foi um dos itens mais controversos nas pesquisas, em alguns lugares era dito como obrigatório, em outros que ninguém pedia, e ainda que em caso de acidente ela poderia ser solicitada. Sabe o ditado “é melhor prevenir do que remediar”? Pois então, sou fã dele. E nós fizemos a nossa e agora conto o nosso processo. Continuar lendo “Planejamento: Como Solicitar a PID”

Experiência: Voando TAP 2019 – POA – ROMA – POA

Neste post conto a nossa recente experiência utilizando a companhia aérea portuguesa TAP em nossa viagem para a Itália, fazendo uma análise na questão de horário, aeronaves, entretenimento, alimentação, distribuição de lugares e atendimento dos comissários de voo. Continuar lendo “Experiência: Voando TAP 2019 – POA – ROMA – POA”

Como funciona a imigração na Europa

Após descer do avião o primeiro lugar que somos direcionados é a imigração. Muitas pessoas tem medo ou receio desta parte, e neste post conto a nossa experiência.

Nós já entramos por três países diferentes: Portugal, Espanha e França, e não observei grandes mudanças na forma de atendimento. Apesar de nunca nos terem pedido um documento, vou listar para vocês o que sempre levo e o que ajuda a dar mais tranquilidade. Continuar lendo “Como funciona a imigração na Europa”

Planejamento: Seguro viagem – É realmente necessário?

Quando estamos organizando uma viagem pensamos em passagem, hospedagem e passeio. Mas outro item bem importante, e um dos mais baratos do planejamento é o seguro viagem.

Em grupos de viagem internacional a pergunta é rotineira, é obrigatório fazer seguro de viagem para o lugar x? Só que este item não deve ser contratado só por ser obrigatório.

Eu sei que ninguém pensa em ir para o lugar dos sonhos e ficar doente, mas o seguro viagem é semelhante ao seguro de um carro, a gente faz torcendo para não utiliza-lo. Mas se acontecer alguma coisa, temos no que nos amparar.

E para quem pensa que é só para destinos internacionais, informo que a menos que você tenha um plano de saúde que atenda nacionalmente, ele também é indicado para quem não quer ficar horas aguardando atendimento.

O motivo? Vou contar um causo nosso. Em 2005 eu e o Marco fomos conhecer a praia dos Ingleses – SC. No retorno de um passeio começou uma ventania. Antes que a chuva começasse, chegamos na pousada, eu estava abrindo o portão – que era um tanto rústico – quando um grande pedaço de madeira caiu no meu polegar esquerdo.

Resultado: dedo quebrado

Paramos em um posto de atendimento próximo e nos mandaram para o atendimento particular, no local não havia traumatologista, era necessário ir para Florianópolis. A sorte é que na época o meu plano era nacional e o lugar indicado aceitava. Foi raios-X e consulta. Além da mão imobilizada. Mas se eu não tivesse o plano teria que pagar por todo o atendimento.

Mas o que é um seguro viagem?
É um seguro que atende aos viajantes em situações de emergência, uma assistência caso você passe por uma situação não desejada, como:
– Consultas médicas hospitalares
– assistência jurídica
– extravio de bagagem
– cancelamento de voos

Normalmente este atendimento é em português, o que também facilita para os viajantes que não dominam o idioma local. A solicitação normalmente é feita via telefone, alguns lugares já utilizam whatsapp, por isso é importante ter a mão os números de contato que vão estar na sua apólice.

Qual a diferença do seguro viagem e da assistência viagem?
Existe muita confusão em relação às duas nomenclaturas, já que normalmente o serviço é oferecido como seguro viagem. A diferença aqui é em relação ao pagamento em caso de uso e lugar de atendimento.

Seguro viagem: trabalha com o reembolso de valores dentro dos limites contratados. Você pode escolher onde será atendido, mas é necessário enviar comprovantes de despesa médica, laudos, notas fiscais e qualquer outro documento que possa comprovar o atendimento.

Assistência viagem: antes de se dirigir a qualquer lugar é necessário ligar para a seguradora que irá indicar onde o segurado deve ir receber o atendimento. Estando os valores dentro dos contratados a seguradora realiza o pagamento, não precisando se preocupar com a burocracia de reembolso.

O que ele pode contemplar?
Tudo depende do tipo de seguro que você irá escolher. Existem dos mais básicos até os mais completos.

Normalmente para simular você informa idade, destino, números de dia que você irá contratar, e o sistema irá trazer as alternativas. Lembrando que os dias devem incluir o dia de saída e chegada no Brasil.

Um exemplo é se você vai viajar para a Europa. O seguro contratado deve seguir as regras estabelecidas no Tratado de Schengen.

Para quem faz esportes radicais, viaja grávida, ou já está com mais de 70/80 anos (depende da seguradora), é necessário buscar seguros específicos para o perfil.

Aqui é muito importante observar as diferenças de coberturas, para saber o que irá te atender em uma situação de emergência.

Comparação dos planos
Exemplo de simulação com diferentes tipos de cobertura

Como fazer um seguro viagem?
O seguro viagem pode ser o oferecido pelo cartão de crédito, banco, empresa aérea, agências de viagem, sites especializados.

No caso do cartão de crédito alguns tipos oferecem cobertura aos seus clientes ao comprar as passagens, normalmente a cobertura é para o titular, cônjuge ou companheiro(a) e filhos dependentes.

Especificamente no caso da Mastercard ela sugere em seu site que se notificada antecipadamente poderá entrar em contato com o hospital ou a clínica diretamente e processar o pagamento sem a necessidade de qualquer desembolso por parte do portador de cartão.

Para quem busca sites especializados nós deixamos como sugestão um parceiro do blog: o Seguros Promo, onde na simulação varias seguradoras são retornadas, permitindo comparação de coberturas. E você pode informar o código 3GERACOESE1MALA5 para garantir um desconto a mais.

Nossa experiência
Como compramos a passagem com o cartão de crédito, eu, Alice e Marco temos cobertura por ele. E nos últimos dois anos tem sido a nossa opção. A única coisa que precisamos fazer é gerar o contrato de cobertura no site.

Como só tem direito cônjuge e filhos, para a mãe eu sempre contrato um seguro viagem com cobertura intermediária em site especializado. Logo após a contratação a apólice é enviada por e-mail.

Nunca utilizamos nenhum dos dois, então não sei dizer na prática qual é o melhor atendimento, ou qual empresa é a mais indicada, mas sempre antes de contratar eu pesquiso as reclamações no Reclame Aqui.

Independente da forma da contratação, o meu conselho é: não viaje sem.

Quer mais dicas? Dê uma lida nos nossos outros posts de planejamento.

Está com dúvida em como economizar na contratação dos itens de viagem? Leia o nosso post sobre ECONOMIZAR E VIAJAR, É SÓ COMEÇAR!.

O que vale mais a pena? Levar dinheiro, cartão pré-pago ou cartão de crédito mesmo? Leia o nosso post DINHEIRO OU CARTÃO?.

Qual a melhor forma de viajar? Por agência? Independente? Veja as suas características no nosso post COMO IR? para decidir.

Não sabe quais tipos de hospedagem são as mais adequadas para você? Nosso post ESCOLHENDO A HOSPEDAGEM dá algumas dicas.

A empresa aérea tentou estragar a sua viagem? Veja o nosso post sobre indenizações.

Imagem da capa: Pixabay

Planeje sua viagem em parceria com o blog clicando nos links em azul:

  • Seguro Viagem com a Seguros Promo. As melhores empresas do mercado, cobertura em todos os continentes, para todas as idades e com os melhores preços. Digite o cupom 3GERACOESE1MALA5 ao realizar sua compra através dos links aqui do blog e ganhe 5% de desconto.
  • Alugue o seu carro com a Rentcars e parcele em reais sem pagar IOF.
  • Problemas com o seu voo ou bagagens? Entre em contato com o pessoal da Resolvvi e veja se pode ser indenizado.
  • Não quer ficar desconectado? Conheça o chip da Viaje Conectado e já inicie o seu roteiro com ele.

Planejamento: Como reservar hospedagem?

Uma das formas de economizar em viagem é realizando todas as contratações de forma independente. Neste post iremos falar de um dos itens mais caros: a hospedagem. Continuar lendo “Planejamento: Como reservar hospedagem?”