O que fazer em Pádua – Roteiro de 1 dia

Entre Veneza e Florença fizemos uma parada na cidade de Padova ou Pádua, onde fica a Basílica de Santo Antônio. A parada aqui não foi só turística e neste post eu vou lhes contar o motivo. Mas também não se restringe a basílica, e assim para quem quer ficar um pouco mais compartilhamos algumas opções de o que fazer na cidade.

Um agradecimento e um pouco da nossa história

Em 2012 eu e o Marco compramos um destes pacotes prontos pela Europa para fazer a nossa lua-de-mel. Era a nossa primeira vez atravessando o oceano e passamos pela Itália, Suíça e França.

No dia 12 de junho, dia dos namorados e véspera do dia de São Antônio, a excursão fez uma parada de poucas horas para conhecer a basílica do famoso santo casamenteiro. Na praça a frente muitas barraquinhas se preparavam para o dia de festa, além de uma prévia do desfile que iria acontecer no outro dia.

Basilica Santo Antonio Antes e Depois
Foto menor em 2012 e maior em 2019 em frente a Basílica

Dentro da igreja um silêncio maior, a proibição de fotografar tornava o ambiente mais calmo. No local apenas uma fila, ao qual o guia nos informou que ao colocar a mão no túmulo onde repousava o corpo de Santo Antônio era possível realizar três pedidos.

Eu, que havia recebido a poucos anos um diagnóstico de que não poderia engravidar, fiz uma adaptação de uma famosa frase para ‘Eu não acredito em santos, mas que eles existem, existem! e também fiz os meus pedidos.

Em setembro daquele mesmo ano me descobri grávida de 7 semanas da Alice, a inspiração para este blog. E assim eu sentia que tinha uma espécie de dívida com o local, sentindo necessidade de retornar para agradecer.

E por esta razão em nosso primeiro retorno a Itália incluímos Padova no percurso entre Veneza e Florença.

Como ir

Padova fica a 51 km de Veneza, sendo uma opção de bate-volta para quem vai ficar mais dias na cidade.

Nós optamos em ir de trem Regionali da Trenitália. Saímos de Veneza e em meia hora estávamos chegando em Padova. No nosso caso, não fizemos um bate-volta, mas uma parada entre cidades, deixando a nossa bagagem no armazenamento de malas da estação.

Os bilhetes foram comprados antecipadamente, mas não é regra, pois os preços não mudam neste caso para compra antecipada ou no local. Se quiser saber mais sobre como andar de trem pela Itália, leia o nosso post Deslocamento de Trem pela Itália.

Mas também é possível ir de ônibus pela sitabus, onde o trajeto leva em torno de uma hora e meia e de carro. Não sei detalhes de estacionamento, mas o trânsito deles é bem movimentado.

O que fazer em Padova?

Nossa primeira parada foi na área onde fica a Cappella Degli Scrovegni, cujo ingresso on-line que compramos ainda no Brasil dava direito a visitar o Musei Civici degli Eremitani e o Palazzo Zuckermann.

Musei Civici degli Eremitani

Localizado nos claustros do antigo convento dos frades Eremitani, é o complexo de museus mais antigo de Veneto. Nele ficam o Museu Arqueológico e o Museu de Arte Medieval e Moderna, bem como a Capela Scrovegni.

Museu Arqueológico

Guarda achados arqueológicos das épocas Paleoveneta, pré-romana e romana, além de uma seção egípcia alimentadas pelo explorador Giovan Battista Belzoni (1778-1823).

Musei Civici degli Eremitani
Peças antigas na área interna e externa do museu

Ele é relativamente rápido de se ver, e tem uma área ao ar livre bem bacana, onde os achados estão espalhados nas paredes também.

Museu Medieval e de Arte Moderna

Expõe obras da pintura italiana que vão dos séculos XIV a XIX, como o Crucifixo de Giotto – que ficava no altar da Capela Scrovegni, e obras-primas de Boccaccio Boccacini, Jacopo Tintoretto e Giambattista Tiepolo.

Museu Medieval e de Arte Moderna
Belas obra de arte se espalham pelo museu, em uma mistura de obra sacra e moderna

Em ambos os museus a uma parte multimídia para quem deseja ter mais conhecimento.

Cappella Degli Scrovegni

Também conhecida como Capela Arena, ela possui em suas paredes afrescos do pintor e arquiteto italiano Giotto di Bondone, obra realizada entre os anos de 1304 e 1306, considerada uma das mais importantes obras-primas da arte ocidental. A igreja é dedicada a Santa Maria della Carità, e os afrescos focam justamente na vida de Maria e seu filho Jesus, com histórias tanto do velho como do novo testamento.

Cappella Degli Scrovegni 2
A visita a Capela funciona com hora agendada e grupos menores

Construída em uma área adquirida por Enrico Scrovegni, o local já havia sido ocupado por um anfiteatro romano onde eram realizadas procissões ao ar livre e representações sagradas da Anunciação (celebração que se refere ao anúncio por um anjo a Maria de que ela estava grávida de Jesus).

Uma curiosidade, diz a lenda que Enrico construiu a capela como penitência aos pecados de seu pai, Reginaldo degli Scrovegni, que tem o papel de usurário de Dante durante a sua passagem pelo sétimo círculo do Inferno em sua Divina Comédia.

Como funciona a visita a Capela

No horário marcado você entra e senta em cadeiras para assistir a um vídeo, onde é explicado cada pintura do local. São grupos com números limitados de pessoas. E o tempo de visitação é entre 15 e 20 minutos, dependendo do mês que a mesma é realizada.

Cappella Degli Scrovegni 3
A combinação luz e câmera dão vida as cores

Com o final do vídeo, você entra na capela, que é pequena. Não há móveis para sentar e no corredor passam entre duas e três pessoas, dependendo do tamanho de cada uma.

O objetivo aqui é ver as pinturas em suas paredes, que com o reflexo do sol e uma câmera ganham vida. Não há uma nova explicação no local, o que tornaria a visita, tão restrita, mais interessante.

A Nossa Visita

A visita na capela foi o único lugar da viagem que nos deparamos com italianos mal-educados. Por algum motivo eles resolveram implicar com a minha mochila antifurto (a mesma que entrou em todos os demais lugares da viagem) e a bolsa de alça da minha mãe. Nos obrigando a deixa-las no armazenamento de itens.

Nos deram pequenas sacolas plásticas para colocar o que tivesse de valor, sendo que como estávamos em transição de uma cidade para outra lá estavam voucher, passagens, passaportes… tudo isso para chegar na dita capela e encontrar pessoas com bolsas maiores que as nossas.

Cappella Degli Scrovegni
Antes de acessar o local é passado um vídeo explicando os afrescos

Para completar o cenário, eu tinha uma expectativa maior do local. Para enxergar a vivacidade das cores você precisa utilizar uma câmera – pode ser a do celular – a olho nu a aparência é opaca, muito diferente das imagens que vemos na internet.

Creio que se eles investissem em mais simpatia e um guia que explicasse os afrescos ao invés de mostrar o vídeo, a visita ia ser muito melhor.

Em contrapartida nos outros dois museus o pessoal foi extremamente gentil, havendo pessoas nas salas a disposição para tirar dúvidas. Como o local não possui um grande fluxo de turistas, é muito fácil circular e observar as obras com calma.

Em relação as filas, elas eram do mesmo tamanho para quem havia comprado na internet e precisava agora retirar o seu ingresso físico e os que iam comprar na hora. O atendimento foi rápido. Só não sei como funciona a questão do horário da visita da capela para quem compra na hora.

Maiores informações:
Endereço: Piazza Eremitani, 8
Horário: 09h as 19h
Ingresso:
Adultos: 14 euros
Reduzido (acima de 65 anos): 10,00 euros
Site: Cappella degli Scrovegni

Almoço

Fomos na Pago Pago Trattoria Pizzeria, a curiosidade está no cardápio, as pizzas possuem nome de personalidades e o Brasil é representado pela Beth Carvalho. A comida é bem gostosa, assim como o vinho da casa. Os valores são bons, valendo a pena a pausa aqui para recuperar as energias.

Almoço
Pratos gostosos e individuais

Os pratos são individuais, então a menos que você vá pedir pizza, não tem quantidade suficiente para compartilhar em mais de uma pessoa. Eu compartilhei o meu com a Alice por haver complementos que ela não gostava, e acabei complementando o meu almoço com a sobremesa da casa.

Nosso gasto total com os pratos, sobremesa, água, vinho, refrigerante e coperto foi de 56 euros.

Maiores Informações:
Endereço:
Via Galileo Galilei, 59
Site: Pago Pago Trattoria Pizzeria

Basílica de Santo Antônio

Maior igreja de Padova, e considerada a mais importante, a Basílica de Santo Antônio de Pádua não é a catedral da cidade. Conhecida por “il Santo”, ela recebe peregrinos católicos de todos os lugares do mundo, além de atrair curiosos e amantes das arquiteturas de igrejas antigas.

Basilica Santo Antonio - Externo
Fachada da Basílica

Sua construção iniciou entre os anos de 1234 e 1238, tendo sido concluída em 1310, e possui corpo do santo, que morreu em 13 de junho de 1231 aos 36 anos, por ter incorporado o local onde ele havia pedido em seu testamento para ser enterrado: a pequena igreja Santa Maria Mater Domini, que hoje é chamada dentro da basílica de Cappella della Madonna Mora.

Arquitetura

A basílica é realmente enorme e não possui um único estilo arquitetônico. Ainda que tenha uma grande quantidade de influência dos românticos e góticos, suas cúpulas são bizantinas, seus monumentos funerários e altares se revezam entre renascentistas e barrocos.

Basilica Santo Antonio 2
Não são permitidas fotos na área interna da Basílica, somente na área externa

A basílica possuí nove capelas radiais nomeadas São Francisco, São Leopoldo, Santo Estanislau, Santo Estevão, São Bonifácio, Santa Rosa de Lima, Capela das Relíquias e Capela das Bênçãos, onde há concentração de obras-primas.

Pontos Principais

Para quem deseja realizar uma visita mais rápida na Basílica, não deixe de ver pelos menos as áreas internas abaixo:

Altar-Mor: é o coração da basílica, com o seu crucifixo ao centro acompanhado por imagens em bronze feitas por Donatello.

Capela do Santíssimo Sacramento: guarda a eucaristia.

Túmulo de Santo Antônio: onde ficam os restos mortais do Frei Antônio, mais conhecido como o Santo Casamenteiro. Diz a lenda que ao colocar a mão no túmulo você pode fazer três pedidos para ele. Se vierem do coração, a chance de se realizarem é grande.

Santa Maria Mater Domini: antigo convento onde o Santo passou o final de sua vida e foi incorporada a basílica durante a construção.

Capela das Relíquias: conserva pertences do Santo, incluindo sua língua e cordas vocais (sim, eu acho isso muito doido, mas tem quem goste).

Nossa Visita

Como comentei no início do texto, eu tinha uma espécie de dívida de gratidão com este local. E seguindo a orientação do local, não tirei nenhuma foto da parte interna, visto que é proibido. Como na primeira vez fui até o túmulo, só que no lugar de pedir, eu agradeci. E mais uma vez recebemos as bênçãos de um padre da basílica.

Basilica Santo Antonio
Os claustros são bem cuidados e também possuem detalhes a serem observados

Na parte externa, onde as fotos são liberadas, estão os claustros, podendo ser acessado pelo público o Claustro da Grande Magnólia, o Claustro das Mostras e o Claustro do Beato Luca. É na visita aos claustros que se tem acesso a uma área onde bonecos que se mexem contam a vida de Cristo, um orelhão (momento curiosidade para a pequena), a lojinha com itens, e a maquete da basílica. Toda esta área é gratuita, há também uma área paga com os museus da basílica, que nós não fomos.

Mesmo sendo uma das igrejas mais visitadas do mundo, o local é muito tranquilo, pelo menos nas duas vezes que fomos não pegamos tumulto, havendo uma certa paz em caminhar pelo local.

Maiores Informações:
Endereço: Piazza del Santo, 11
Horário: Todos os dias das 08:15 as 17:30
Entrada Gratuita
Site: Basílica de Santo Antônio

Prato della Valle

Próximo da basílica e cheia de jovens da cidade, a segunda maior praça da Europa (maior do que ela só a Praça Vermelha em Moscou) possui uma área verde, onde há um canal que circula uma ilha chamada Isola Memmia. O canal é acompanhado de várias estátuas de personalidades históricas de Padova.

Prato della Valle 2
Personalidades da história de Pádua eternizadas na praça

Originalmente haviam 88 estátuas, mas 6 que representavam os doges de Veneza foram derrubadas pelo exército de Napoleão em 1797, hoje são 78 estátuas representando seus moradores mais famosos, 40 no anel exterior e 38 no anel interior do canal. Elas foram modeladas em pedra de Costozza e foram esculpidas por diferentes artistas nos anos de 1775 e 1883, sendo que apenas pessoas já mortas e que não eram santos podiam ser retratadas.

Entre os representados estão Galileu Galilei, Tito Livio, Francesco Petrarca, Antonio Canova e Antenor – que seria o fundador de Padova. Não há nenhuma mulher entre as estátuas, apenas um busto da poetisa Gaspara Stampa.

Também conhecida como “Il Prato” ela mantém o mesmo formato do projeto original, realizado no final do século XVIII e desenvolvido pelo procurador da cidade Andrea Memmo. Sua forma elíptica ocupa uma área de 88620m², e além da ilha, do canal e das estátuas, possui muitas árvores e 4 pontes, chamadas de Ponte do Norte, Pontes do Obelisco e Ponte dos Papas.

O local já foi um terreno pantanoso, contemplou um grande teatro romano chamado Zairo – sendo utilizado inclusive para lutas -, já foi um circo onde aconteciam corridas de cavalo. Também foi o local onde martirizaram Santa Giustina e San Daniele, dois dos quatro patronos da cidade. Sendo também o local escolhido para os sermões mais populares de Santo Antônio.

Prato della Valle
A segunda maior Praça da Europa

Foi em 1767 que a praça se tornou propriedade pública e em 1775 Andrea Menno iniciou a recuperação do local, e hoje o pessoal se diverte de bicicleta, skate, fazendo piquenique ou simplesmente caminhando.

Prato della Valle também é utilizada para eventos da cidade, nos sábados as barracas ocupam parte do espaço para o funcionamento do Mercado de Padova, no terceiro domingo do mês ocorre o Mercado de Antiguidades, além de shows e fogos de artifícios em períodos especiais como no Ano Novo e jogos das equipes italianas de futebol.

Em nossa primeira visita a Padova fomos na véspera de Santo Antônio e tivemos a oportunidade de ver a praça toda enfeitada e cheia de barracas para celebrar o Santo.

Maiores Informações:
Endereço: Via Prato della Valle
Horário: 24 horas todos os dias
Entrada Gratuita

Piazza dei Signori

A Piazza dei Signori abriga a Torre do Relógio, que fica em um edifício medieval. O relógio é de 1300 e mostra hora, minutos, mês, dia e fases da lua, que me fez lembrar um pouco do relógio que fica na Praça de São Marcos em Veneza.

Piazza dei Signori
A Praça do Relógio

A praça surgiu no século XIV após a demolição de um antigo bairro. Sendo projetada para dar ênfase a torre e acesso ao Palácio. E por muitos séculos esta praça foi o local de celebrações cívicas e torneios.

Hoje ela é cercada de restaurantes e cafés e abriga o mercado da cidade pela manhã.

Maiores Informações:
Endereço: Piazza dei Signori
Horário: 24 horas todos os dias
Entrada Gratuita

Outros lugares

O tempo anda rápido quando andamos distraídos, e alguns lugares que estavam na nossa lista não foram visitados. Mas fica a sugestão caso você seja mais rápido que nós:

Duomo e Batistério: dedicado a Santa Maria Assunta, teve a participação de Michelangelo no projeto, cuja construção foi de 1551 a 1754. Uma de suas características é a fachada inacabada.

Palazzo della Ragione: construção imponente e símbolo da cidade, por muito tempo sediou o Tribunal da cidade, hoje é um espaço cultural. Para visitar é necessário pagar ingresso.

Piazza dell’Erbe della Frutta e dei Signori: para quem não resiste um mercado, aqui é ponto de visita obrigatória. Bancas se espalham por toda a praça com diversos produtos.

Palazzo Zuckermann: próximo à estação de trem, ele estava incluído no ingresso do museu cívico, mas como só tínhamos uma hora para chegar na estação, pegar as malas e ver o nosso trem, acabamos passando só pela frente.

* Viagem realizada em Setembro/2019
* Alice estava com 6 anos e 4 meses
* Todas as despesas foram pagas por nós

Ficou com dúvida? Já esteve em Pádua? Conheceu outros lugares ou teve outras impressões? Divida com a gente nos comentários.

Este post faz parte de uma blogagem coletiva onde outros viajantes também compartilham as suas dicas. Aproveite para descobrir o que fazer em outros lugares clicando nos links abaixo:

Expedições em Família – O que fazer em São Miguel das Missões 
Viajando com a Cintia  – O que fazer em São Miguel das Missões
Entre Mochilas e Malinhas – O que fazer em Santo Antonio do Pinhal, na serra da Mantiqueira
Mystras- O que fazer em São Nicolau
6viajantes – O que fazer no Deserto do Atacama com criança
Destinos por onde andei… – O que fazer em Niterói em um fim de semana
LeydsViaja – O que fazer em quatro dias no Jalapão: fervedouros, cachoeiras, dunas e muito mais
CincoCantos – O que fazer em Valleta, Malta
Só Penso em Viajar –  O que fazer em Budapeste – Hungria 
Disney e outros Destinos Incríveis – O que fazer em Orlando fora dos parques e outlets

Planeje sua viagem em parceria com o blog clicando nos links em azul, você não paga nada a mais por isso e nos ajuda a melhorá-lo cada vez mais:

  • Reserve seu hotel através da Booking.com, são milhares de opções no mundo todo com garantia dos melhores preços. Cancelamento gratuito, pagamento antecipado e confiança de uma empresa com mais de 20 anos atuando com reservas de hotéis.
  • Seguro Viagem com a Seguros Promo. As melhores empresas do mercado, cobertura em todos os continentes, para todas as idades e com os melhores preços. Digite o cupom 3GERACOESE1MALA5 ao realizar sua compra através dos links aqui do blog e ganhe 5% de desconto.
  • Alugue o seu carro com a Rentcars e parcele em reais sem pagar IOF.
  • Problemas com o seu voo ou bagagens? Entre em contato com o pessoal da Resolvvi e veja se pode ser indenizado.
  • Não quer ficar desconectado? Conheça o chip da Viaje Conectado e já inicie o seu roteiro com ele.

13 comentários em “O que fazer em Pádua – Roteiro de 1 dia

  1. Adorei esse texto, me deixou emotiva. Que viagem maravilhosa vocês fizeram e que especial esse retorno de gratidão ao lindo presente que receberam. Eu amei o roteiro e sem dúvida vou aproveitar e muito os passeios, em especial aos museus. Adorei o post!

    Curtir

  2. Adoro acompanhar roteiros que incluem as crianças. Conheci Veneza sozinha, antes de ter as crianças. Tenho muita vontade de voltar a Itália e passar em algumas cidades. Pádua não estava na lista, mas já vou colocá-la depois de ler esse post. Adorei as informações e dicas.

    Curtir

  3. Que emocionante quando a história de uma viagem se entrelaça com a nossa jornada pessoal! Deve ter sido mesmo uma emoção voltar a Padua agora com sua filha. E eu fico fascinada como cada monumento, praça e edifício na Itália tem uma história antiga e cheia de detalhes!

    Curtir

  4. Excelente blog!! Mas de toda história de Pádua, muito emocionante foi a homenagem de vocês na Basílica de Santo Antônio!! Nossa!!! Alice tem um padrinho: Santo Antônio!! Coisa mais linda!!

    Curtir

  5. Que benção maravilhosa você recebeu de Santo Antônio. Eu acredito em santos e tenho recebido muitas graças também, digam o que quiserem, mas eu acredito sim e muito.
    Pádua está em minha listinha de desejos, exatamente por ser um lugar muito especial, ligado à Santo Antônio, ainda pretendo visitar algum dia.
    Adorei as dicas do que fazer na cidade, conheci Veneza e Florença, e Pádua estará em nossa próxima ida à Itália.
    Beijos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s